Seriösly News: Coronavirus Intruding The Sports World

19/02/2021

The influence of this global pandemic on the Olympics

By Júlia Gorovitz

High school

We are all aware of the global crisis we are fighting against in our daily life. We all suffer with the consequences of the extreme boredom of this quarantine. But we are not the only ones. The people we idolize and see as more than humans on TV are suffering as well. The Olympics are now also involved in this devastating pandemic.

 

 

 

 

Even though the minister of the Tokyo Olympics 2020, Seiko Hashimoto, on March 11, 2020, mentioned the postponement of the event was inconceivable, the highly transmissible coronavirus has caused its deferral. This matter has also been of great concern to the Olympics chief executive officer Toshiro Mori, who was “seriously worried” the virus would impact both the Olympics and Paralympics, which were scheduled to open on July 24 and August 25, respectively.

Seiko Hashimoto, 2020

Craig Spence, spokesman for the International Paralympic Committee, said, “One thing I am noticing at the moment is fear is spreading quicker than the virus, and it is important that we quell that fear.” However, the daunting, rapidly escalating numbers are making that more and more difficult.

Craig Spence, 2016
Craig Spence, 2016

In a statement sent on March 24, the International Olympics Committee mentioned the Games would be rescheduled to a date beyond 2020, to safeguard the health of athletes and everyone involved in the Olympics. The sporting event will continue to be called the Olympic and Paralympic Games Tokyo 2020.

The games will now start on July 23, 2021 and will run until August 8. As a result, the Paralympic Games have also shifted dates. They will now run from August 25 until September 6, 2021.

“It is fantastic news that we could find new dates so quickly for the Tokyo 2020 Games,” said Andrew Parsons, the President of the International Paralympic Committee. “The new dates provide certainty for the athletes, reassurance for the stakeholders and something for the world to look forward to.”

Andrew Parsons, 2016

“When the Paralympic Games do take place in Tokyo in 2021, they will be an extra-special display of humanity uniting as one, a global celebration of human resilience and a sensational showcase of sport”, said Parsons, revealing a very positive outlook on the situation.

 

 

 

The disease has spread unimaginably fast, and has even reached some athletes, for example: Marcus Smart, basketball player, Ezequiel Garay, soccer player, Earvin Ngapeth, volleyball player, Thiago Wild, tennis player, and Fernando Gaviria, biker.

The coronavirus is unpredictable, dangerous and worthy of all the attention it has been receiving in the current global scenario. Yet, the dedicated athletes won’t let this microscopic enemy defeat them. Ladies and gentlemen, the Seriösly News presents the “home office” of some well known athletes!

The Brazilian table tennis player Hugo Calderano had his lockdown started on a Monday, March 16th, one day after the closing of the gym he went to practice. The solution found by the athlete was to bring one of the tables home and practice his sport. Even though the athlete complained about lacking space in his house to be able to exercise properly, Calderano tried his best to keep his healthy and strong physical condition.

Hugo Calderano,2016

The 24-year-old Izabella Chiappini has also worked hard, having her father’s gym and a small pool at her disposal, to keep her fit, training everyday. The water polo player said to consider herself very lucky for having the equipment in her hands to help the young athlete, but the situation she finds herself in is far from ideal.

Now, looking on the bright  side, I am absolutely sure that, in July 2021, Tokyo’s streets will be filled with passion, love for sports, togetherness among the people and a lot of excitement from tourists from all over the world. Each one of them (and the athletes too) even more excited about the event because of the huge delay. Every single one of the 33 modalities will be even more special, intriguing and extra appealing!

Divertida Mente: 4 lições valiosas que podemos aprender com o filme

06/01/2021

O filme “Divertida Mente”, um dos concorrentes ao Oscar 2016 na categoria melhor animação, foi produzido com muita criatividade pelo americano Pete Docter, com ajuda de psicólogos e neurologistas, em roteiro cuidadoso e lúdico. Há muita psicologia envolvida no longa-metragem. Como protagonistas, dentro da mente da menina chamada Riley, há Alegria, Tristeza, Medo, Raiva e Nojinho. Muito mais do que retratar os sentimentos existentes na vida das pessoas, mostra a importância deles. Sem dúvida, podemos aprender lições para compreender o que cada sentimento traz à nossa vida.

 

1) As emoções são responsáveis por fixar memórias

 Logo no início do filme, vemos que as emoções mais representativas de um determinado momento são guardadas na memória da personagem. Nossa capacidade de armazenar dados no cérebro está diretamente relacionada às emoções vividas

Um exemplo da relação entre memória e sentimento é um princípio chamado de ‘fuga da dor e aproximação do prazer’. O que é positivo em nossa memória, temos predisposição de repetir. Quando guardamos memórias ruins, evitamos passar por aquela situação novamente.

Nossa cabeça funciona como um GPS, pois o hipocampo, área cerebral onde ficam as memórias, é cheio de células de localização. Cientistas da Universidade da Columbia fizeram testes para comprovar que esse GPS interno é emotivo, ou seja, ele guarda os lugares importantes para a pessoa por meio de lembranças repletas de emoções, em uma camada mais profunda do hipocampo.

 

2) Algumas memórias são esquecidas, e isso não é algo ruim 

O psicólogo e filósofo norte-americano, William James, um dos fundadores da psicologia moderna, já enfatizava a importância das emoções para o bom funcionamento do cérebro. “Lembrar-se de tudo seria tão desagradável quanto não se lembrar de nada”, dizia ele. O cérebro é capaz de fazer uma seleção em função do valor afetivo que determinado acontecimento tem para nós.

 

3) Não existe sentimento melhor ou pior. Existe sentimento. 

É normal que as pessoas prefiram o sentimento de felicidade. Um exemplo disso é a forma com que a maioria das pessoas se manifesta nas redes sociais, mostrando apenas momentos alegres. Em contrapartida, é necessário que haja outras emoções no nosso dia a dia, e o filme traz uma crítica a isso. Não precisamos estar felizes o tempo todo, a qualquer custo, pois há ocasiões em que um pouco de melancolia é essencial para lidar com algumas dificuldades, explica a neuropsicóloga Cleide Lopes, do Centro de Longevidade do Hospital 9 de Julho, em São Paulo.

A psicóloga ainda explica a respeito de outros sentimentos. O medo nos impede de entrar na jaula do leão durante uma visita ao zoológico. Já o nojo nos bloqueia de comer um lanche estragado. O segredo está em equilibrar os sentimentos e não deixar que eles nos bloqueiem de sair de casa ou de viver situações do dia a dia.

 

4) A tristeza é importante

No filme, a Tristeza não é compreendida, e quase sempre é deixada de lado. As outras emoções não entendem a sua importância e acham que ela tem menos valor. Por outro lado, essa emoção rouba a cena no longa da Pixar. Muitas vezes, é ela que promove o consolo e o conforto, que motivam a empatia e se unem à saudade de momentos felizes do passado.

Um exemplo disso é a cena em que o amigo imaginário Bing Bong está triste, e a Alegria não consegue consolá-lo. Como Riley passa por um momento cheio de mudanças, ele se sente esquecido. Só melhora com a presença da Tristeza, que se coloca de maneira empática. “Como você fez isso? Ele se sentir melhor?”, questiona a Alegria. “Não sei; ele estava triste, e eu o ouvi”, respondeu a Tristeza.

Quadros em Cena

10/12/2020

A releitura pela ótica do 5º e do 6º Ano!

A análise crítica de obras e a replicação fazem parte da nossa proposta pedagógica. Não basta aprender e entender o processo criativo; é preciso saber interpretar também. Na aula de Artes Visuais, os alunos do 5º e do 6º Ano participaram de uma atividade instigante: a releitura de obras.

A proposta surgiu a partir da necessidade de trabalhar o lado artístico dos estudantes que estavam em casa devido à pandemia. Assim, juntamos o universo da arte com a tecnologia para propor a atividade. Além disso, também enriquecemos o repertório com uma pesquisa sobre a obra escolhida e o artista plástico que a realizou.

Com a ajuda das famílias, e munidos dos itens disponíveis em casa, os estudantes recriaram cenas, construindo os próprios cenários e figurinos. Os resultados foram emocionantes e mostraram o capricho com que desempenham as atividades. Vamos ver?

Autores que inspiram o universo literário

04/12/2020

A leitura traz uma vivência importante e não deve se limitar somente a sala de aula porque essa prática oferece o desenvolvimento de diversas habilidades. Hoje, sabemos que com as novas gerações de crianças digitais, o desafio de incentivar a leitura ganha ainda mais importância.

Estudos comprovam que quem tem o costume de ler, melhora o vocabulário e a interpretação, além de desenvolver o potencial de concentração, imaginação e criatividade. Agora queremos saber como é a sua relação com a leitura e qual autor costuma ler? 

Aqui no Seriös, estimulamos a leitura com atividades propostas que estão no cronograma pedagógico. Mas o ensino continua em casa, com a família como grande aliada e incentivadora! Para auxiliá-los, preparamos algumas sugestões para que possam ler em casa. 

Ana Maria Machado

Já ouviu falar dessa escritora? Ela já publicou diversos livros infantis e com títulos voltados para diferentes faixas etárias. Ficou muito conhecida após receber, em 2000, o Prêmio Hans Christian Andersen, um dos mais importantes de literatura infantil. 

– Menina Bonita do Laço de Fita (1986)

Uma linda menina negra desperta a admiração de um coelho branco, que deseja ter uma filha tão pretinha quanto ela. Cada vez que

ele lhe pergunta qual o segredo de sua cor, ela inventa uma história. O coelho segue todos os “conselhos” da menina, mas continua branco. 

– De carta em Carta (2002).

A história comovente de um avô e um neto, analfabetos, e de Miguel, um escritor, que sabia as palavras que o destinatário precisava ouvir ou ler. Um livro que mostra como a palavra pode interferir nas relações afetivas e também nas instituições, ajudando as pessoas a se sentirem mais cidadãs.

Marina Colasanti 

Com mais de 70 livros publicados para crianças e

adultos, a escritora, jornalista, artista plástica e tradutora já recebeu

dezenas de prêmios por suas obras de literatura infantil, entre eles o Prêmio

Jabuti. Além disso, muitos de seus livros já foram traduzidos para o espanhol.

– Uma Ideia Toda Azul (1979) 

As histórias, embora passadas em lugares

imaginários – castelos, bosques, reinos distantes -, revelam sonhos, fantasias, medos, desejos e outros sentimentos sempre presentes na alma humana e retratado por personagens como reis, rainhas, princesas, príncipes, unicórnios, gnomos, cisnes e fadas.

– A Moça Tecelã (2003).

A moça tecelã, que ganha nesta publicação o trabalho de outros artesãos – as irmãs Dumont, bordadeiras, e o ilustrador Demóstenes, que teve seus desenhos transformados em fios artesanais. 

Ziraldo Alves Pinto 

O escritor é um dos mais renomados autores de literatura infantil do Brasil. Além disso, é o criador do famoso personagem O Menino Maluquinho. A linguagem utilizada em suas obras alcança crianças de

diversas idades. 

– Uma Professora Muito Maluquinha (1995) 

Ao evocar a “Professora Maluquinha”, o autor coloca nos olhos do leitor algumas lágrimas de emoção e de saudade. Humana, compreensiva, às vezes mal interpretada, a personagem, mais do que ensinar, dá a seus alunos a oportunidade de aprender com alegria, de guardar para sempre um grande amor pela leitura.

– Os Dez Amigos (2001).

Cinco dedos em cada mão. Cada dedo tem um nome, um apelido engraçado para revelar. Cada dedo tem seu sonho, e, se as duas mãos se juntam num fraterno encontro, os dez bons amigos fazem uma grande descoberta.

Vamos juntos adotar a prática leitura e construir esse hábito? Boa leitura!  

Nosso universo Olímpico

26/11/2020

 

Participar de competições olímpicas faz parte da nossa rotina acadêmica e tem preparado cada vez mais os alunos para competir em igualdade de conhecimento e equilíbrio emocional, além de auxiliá-los a enfrentar os obstáculos do dia a dia. O desafio de ser medalhista requer dedicação, mas o grande diferencial está na combinação da vontade de aprender com a expertise do departamento olímpico.

Ao longo dos últimos anos, nossa seleção de estudantes participou de mais de 25 olimpíadas com conteúdos que abordam de robótica a medicina. É importante ressaltar que o resultado vai muito além de títulos e troféus. Ao participar, eles desenvolvem a capacidade de enfrentar desafios, ampliar conhecimentos, desenvolver o raciocínio, conhecer novas possibilidades e viver experiências únicas. Acreditamos nesta jornada, e os números nos mostram que estamos no caminho certo.

Veja nossos resultados de 2019 e 2020

  • OBS – 34 alunos premiados
  • OBA – 24 alunos premiados
  • AIMO – 15 alunos premiados
  • WMGO – 15 alunos premiados
  • ONC – 2 alunos premiados
  • OBRL – 12 alunos premiados
  • MOBFOG – 3 alunos premiados
  • OBR – 7 alunos premiados
  • OBG – 3 alunos premiados
  • OMDF – 1 aluno premiado
  • OBQJR – 2 alunos premiados
  • OBC – 1 aluno premiado
  • OBMEP – 2 alunos premiados
  • The Talking Titans – 1 aluno premiado
  • Pocket – 7 alunos premiados
  • Canguru de Matemática – 98 alunos premiados

 

Ao todo, somos 227 premiados olímpicos e um departamento olímpico que trabalha diariamente para estimular e aprimorar os estudantes. Você é nosso convidado para conhecer as olimpíadas de que participamos e os benefícios que elas nos trazem.

Olimpíada Brasileira de Astronomia

A olimpíada, que já está em sua 23ª edição, superou a marca de 10 milhões de participantes e já premiou mais de 50 mil estudantes. A trajetória dentro da competição é dividida em quatro níveis, sendo os três primeiros dirigidos a alunos do Ensino Fundamental, e o quarto, para o Ensino Médio. Os participantes que fazem a prova respondem a dez perguntas, sendo sete de astronomia e três de astronáutica. Os melhores classificados representam o Brasil na Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA) e na Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica de 2021 (OLAA).

Olimpíada Brasileira de Robótica

A OBR foi desenvolvida com o objetivo de estimular os jovens às carreiras científico-tecnológicas e apresentar esse universo tão rico. Além disso, também busca identificar jovens talentosos e promover debates sobre o tema. Para participar, é necessário estar cursando o Ensino Fundamental, o Médio ou o Técnico. A competição tem duas modalidades: prática e teórica, e a divisão é feita a partir do nível de conhecimento de cada participante. Ou seja, se o estudante ainda não teve contato com a disciplina ou se já estudou. As avaliações acontecem por meio de atividades práticas (com robôs) e provas teóricas.

Olimpíada Brasileira de Informática

A OBI é uma competição acadêmica que visa a despertar interesse por uma ciência importante, que não está inserida na formação básica. Envolve atividades referentes a conhecimentos em técnicas de programação, algoritmos e desenvolvimento do raciocínio lógico. A olimpíada ocorre em três fases, sendo cada uma composta por uma prova objetiva. Os alunos são selecionados para as próximas etapas de acordo com a pontuação obtida e, ao final, os participantes que alcançam resultados mais significativos são premiados com medalhas e méritos de honra.

Olimpíada Brasileira de Física

A OBF é uma olimpíada que objetiva a consolidação dos conteúdos de Física e traz desafios divididos em três fases/níveis. A primeira etapa é composta de 20 questões de múltipla escolha de assuntos referentes ao nível dos participantes. A segunda é realizada em duas partes – em uma delas, os alunos marcam os resultados; na outra, toda a solução teórica deve ser apresentada. Na última, os candidatos devem resolver oito questões. De acordo com o resultado, são premiados. A competição recebe alunos do 8° Ano à 3ª Série do Ensino Médio.

Olimpíada Brasileira de Linguística

A OBL é uma competição que acontece desde 2011. O objetivo é oportunizar, aos participantes, a ampliação de habilidades lógico-analíticas, intuição linguística e visão sobre os povos do mundo a partir de uma abordagem interdisciplinar. Durante o processo, os competidores participam de quatro etapas que permitem avaliar diferentes graus de envolvimento e conhecimento. Têm oportunidade de contato com um instrumento de imersão multicultural, envolvendo diversos temas do mundo das línguas, da linguagem, dos códigos e da cognição humana.

 Olimpíada Brasileira do Saber

A OBS é uma competição que visa a preparar alunos para Feiras de Ciências e Olimpíadas Nacionais e Internacionais. Assim, os estudantes de escolas públicas e privadas têm oportunidade de participar de um evento de nível internacional, em que, na segunda fase, as provas são em língua estrangeira. Ao todo, já participaram 256 escolas e mais de 17 mil adolescentes. É importante ressaltar que a OBS não é pré-requisito para participação em nenhuma olimpíada; apenas ferramenta para que a competição ocorra de modo igualitário com equipes mais seguras e preparadas.

British English Olympics

A British English Olympics é uma olimpíada internacional de inglês desenhada/certificada por doutores da Universidade de Oxford. A competição recebe alunos de 12 a 16 anos de vários países do mundo. É uma das grandes oportunidades de apreciar a multiculturalidade e a excelência acadêmica. Os objetivos dos organizadores são mensurar domínio no idioma inglês, estimular desenvolvimento de habilidades como liderança, trabalho em equipe, capacidade de tomar decisões, entre outros aspectos significativos na vida profissional.

The Masters

O The Masters é uma competição internacional focada no universo empreendedor que funciona como uma incubadora de negócios. Na competição, os alunos têm 12 dias para desenvolver um projeto acompanhados por professores de universidades da Inglaterra. Os organizadores acreditam que os estudantes do Ensino Médio têm idade adequada para criar, inovar, executar e são suficientemente visionários para desenhar um produto a partir do zero. Ao final, são avaliados alguns aspectos como design do produto, objetivos financeiros, análise de mercado, análise da concorrência, estratégia de mercado e criatividade. O mais importante é que, além das premiações e da experiência, os participantes desenvolvem e fortalecem habilidades como trabalho em equipe, liderança, capacidade de análise e tomada de decisões.

Canguru de Matemática

Canguru de Matemática é uma competição anual destinada aos alunos do 3º Ano do Ensino Fundamental aos da 3ª Série do Ensino Médio. A olimpíada começou na França e é administrada globalmente pela Associação Canguru sem Fronteiras. Atualmente é a maior competição de Matemática do mundo, com mais de 6 milhões de participantes por ano nos mais de 80 países. Ao competir, o aluno amplia conhecimentos matemáticos e é estimulado na capacidade de ter prazer e satisfação intelectual na resolução de problemas de Matemática pura ou aplicada.

Olimpíada de Quanta

A competição de Quanta foi organizada em 1994 como um evento nacional na Índia. Com grande sucesso, ela se tornou internacional no ano seguinte e atualmente conta com participação de equipes de todo o mundo, somando mais de 40 países. Diferentemente das feiras de ciências, olimpíadas ou fóruns científicos, cada escola pode participar com um time de até 7 estudantes, que participam de provas, debates sobre temas científicos, quizzes de Ciências, Matemática, problemas de Lógica e de um projeto para a construção de um barco autocontrolado. Os vencedores são certificados e premiados.

Olimpíada Pocket

A Pocket é uma série de olimpíadas sobre temas específicos que acontece ao longo do ano letivo. Os temas são baseados em pautas da atualidade, datas comemorativas, assunto  de relevância cultural, ciências, grandes eventos, autores e obras clássicas, debates contemporâneos, entre outros. O objetivo é disseminar conteúdos relevantes e boas práticas de ensino e aprendizagem fortalecendo a interação entre os interessados em olimpíadas de conhecimento.

Olimpíada Nacional em História do Brasil

A ONHB surgiu a partir de um projeto de extensão da Universidade Estadual de Campinas. Para participar, os alunos precisam estar cursando do 8º Ano à 3ª Série do Ensino Médio. A proposta visa a transformar o conceito da forma de estudar a História do Brasil, abordando temas fundamentais a partir de documentos históricos, imagens, mapas, textos acadêmicos, pesquisas inéditas e debates historiográficos. Durante a competição, são formadas equipes de 4 pessoas, sendo 3 estudantes (que podem cursar diferentes anos) e o professor de História do colégio, para embarcarem na disputa. Ao todo, a olimpíada recebe mais de 70 mil estudantes em cada edição.

Olimpíada Nacional de Ciências

A ONC é uma competição que faz parte do Programa Ciência na Escola. É uma realização em parceria de cinco Sociedades Científicas: a Sociedade Brasileira de Física, a Associação Brasileira de Química, o Instituto Butantan, a Sociedade Astronômica Brasileira e a Universidade Estadual de Campinas. Participam alunos do 8º Ano à 3ª Série do Ensino Médio. Aborda Astronomia, Biologia, Física, História e Química. O objetivo é fortalecer o entendimento dessas disciplinas e proporcionar o desenvolvimento de habilidades de competição.

Olimpíada Brasileira de Biologia

A OBB é um concurso promovido pelo Instituto Butantan em parceria com o CNPq e a Fapesp – Cetics. A competição busca despertar o interesse pela Biologia, estimulando a apresentação de soluções criativas aos problemas propostos, aproximar os alunos da universidade, permitir que descubram a capacidade de crescimento intelectual, econômico e social, além de promover intercâmbio de ideias e de experiências e estabelecer relações entre os jovens de diferentes países. A participação é exclusiva para os estudantes da 1ª, 2ª e 3ª Séries do Ensino Médio e alunos do Pré-Vestibular.

Olimpíada Brasileira de Economia

A OBECON surgiu em 2018 com objetivo de auxiliar os alunos por meio de uma educação econômica, financeira e de negócios a partir de conteúdos que não fazem parte do currículo escolar tradicional. Apesar de recente, a competição já reuniu mais de 5 mil alunos e acontece em todos os Estados e no DF. Para participar, basta estar cursando o Ensino Médio, a Universidade ou ser um profissional interessado em construir novos conhecimentos.

Olimpíada Brasileira de Medicina

A OBM surgiu a partir da necessidade de ampliar o nível de conhecimento sobre os caminhos de formação e atuação nas áreas da saúde para alunos que buscam cursar Medicina. As questões da competição estão conectadas ao que há de mais novo na área, além de cobrir diferentes aspectos e curiosidades da Medicina. Ao todo, são quatro categorias: júnior regular, júnior livre, sênior regular e sênior livre. Para participar das categorias regulares, é preciso estar cursando do 8º Ano ao Ensino Médio. Já para as livres, não há exigência.

Olimpíada de Matemática do Distrito Federal

A OMDF é uma olimpíada criada no formato de seletivas para competições regionais da OBM e do IMPA. Para participar, os alunos precisam estar cursando o Ensino Fundamental ou o Médio. A disputa acontece em duas fases. A primeira é realizada no mês de maio de cada ano na própria escola. A segunda, no mês de agosto, em local designado pela Coordenação Acadêmica para os alunos classificados na Primeira Fase. Aqui, eles estudam Matemática desenvolvendo grande variedade de questões. Como prêmio, melhoram a performance escolar.

Olimpíada Brasileira de Raciocínio Lógico

A OBRL é uma competição que visa a aproximar escolas e estudantes do universo de jogos e desafios lógicos com ferramentas pedagógicas e metodologia que estimulam memória, criatividade, destreza e pensamento lógico-analítico. Ao participar, o aluno tem oportunidade de desenvolver a concentração para a solução de problemas, além de competir com estudantes de todo o país.

Olimpíada Brasileira de Matemática

A OBM é uma competição promovida pela Sociedade Brasileira de Matemática e a Associação Brasileira de Matemática para alunos do Ensino Fundamental, Médio e universitários. A primeira edição foi realizada em 1979. A participação na olimpíada oferece ao estudante oportunidades significativas de melhorar o aprendizado de Matemática. Além disso, o evento busca estimular a participação em competições, descobrir jovens talentos e selecionar representantes do Brasil para competições internacionais.

Olimpíada Brasileira de Química Júnior

A OBQJr é uma atividade promovida pela Associação Brasileira de Química e coordenada anualmente pela Universidade Federal do Ceará e pela Universidade Federal do Piauí. É direcionada a estudantes do 8º e do 9º Ano do Ensino Fundamental de todo o país. Os objetivos são estimular interesse pelas ciências da natureza, em especial a Química, contribuir para a melhoria do ensino e identificar jovens talentos com aptidão para a área.

Asia International Mathematical Olympiad

A AIMO é uma organização internacional colaborativa de pesquisa em Matemática que promove uma competição com objetivos de oferecer, aos adolescentes, uma plataforma internacional para desenvolver a Matemática, a vivência de um intercâmbio cultural, aprimorar habilidades do pensamento científico, ampliar amizades e cooperação de adolescentes de diferentes países, criando uma cultura de compartilhar conhecimento.

 

Você sonha em fazer parte deste time? Venha para nossa comunidade escolar e seja, também, um campeão! Nosso departamento olímpico está te esperando!

Três jogos desenvolvidos por neurocientistas para exercitar o cérebro

26/11/2020

Todo mundo gosta de tarefas divertidas. Mas que tal mesclar isso com ensino e treino?

Há diversas formas de exercitar a mente; uma delas é por meio de jogos (on-line ou físicos). O jogo é uma proposta lúdica interessante para todas as idades. Afinal, precisamos estar sempre aperfeiçoando habilidades cognitivas, memória e inibição.

Conheça três jogos gratuitos, para IOS ou Android, que foram criados especialmente com esse intuito. Os professores Jan L. Plass, Bruce D. Homer e Richard E. Mayer, de Nova Iorque e da Califórnia, trabalharam juntos para desenvolver entretenimento que aumenta a capacidade do cérebro de desempenhar com mais eficiência as ações do dia a dia.

 

1 – Gwakkamolé

O primeiro jogo foi projetado para treinar o controle inibitório, ou seja, a habilidade de controlar atenção, comportamento, pensamentos e emoções. Esse controle é uma subcapacidade das funções executivas, de extrema importância para autocontrole, atenção seletiva, conter impulsos e adequação do comportamento.

 

2 – CrushStations

É uma diversão que envolve crustáceos ao invés de abacates, e consiste no treinamento da memória operacional. Também chamada de “memória de trabalho”, é responsável por reter e processar temporariamente as informações à medida que realizamos determinadas tarefas. Por exemplo: por meio dela, uma pessoa é capaz de lembrar o nome de alguém que conheceu recentemente ou há certo tempo.

 

3 – All You Can ET

É o terceiro jogo do conjunto lançado pelos três estudiosos. Foi projetado para atuar diretamente na flexibilidade cognitiva, ou seja, aquela que alterna entre pensar sobre dois conceitos diferentes ou entre vários conceitos diferentes. Nesse jogo, os envolvidos fornecem aos alienígenas comida e bebida para ajudá-los a sobreviver. O desafio é que os alienígenas frequentemente mudam de ideia sobre comer ou beber, dependendo de quantos olhos eles têm e da cor de seus corpos.Conforme o jogo aumenta em dificuldade, mudam-se as regras para o que cada alienígena prefere comer ou beber.

Os pesquisadores publicaram oito artigos detalhando a eficácia de seus jogos. Segundo eles, foram encontradas evidências de que duas horas de prática já mostram uma evolução significativa ao usuário em comparação com um grupo que se distrai com outras opções.

Você conhece o Tangram? Uma forma divertida de aprender!

23/11/2020

O Tangram é um quebra-cabeça muito popular em todo o mundo. Ele contém 7 peças que são chamadas de “tans”: 2 triângulos grandes, 1 triângulo médio, 2 triângulos pequenos, 1 quadrado e 1 paralelogramo. O jogo surgiu na China durante a Dinastia Song (960 – 1279 d.C.) e chegou à Europa no começo do século XIX.  

A lenda do Tangram: O discípulo e o mestre

Existem várias lendas sobre o surgimento do Tangram. A mais famosa é sobre um monge chinês. Ele teria dado a seu discípulo a tarefa de viajar pelo mundo contando as belezas que encontrasse, levando um quadrado de porcelana e outros objetos. Houve um descuido, e a porcelana caiu, dividindo-se em 7 pedaços (as peças do Tangram). Com isso, ele percebeu que, juntando-as, poderia construir todas as maravilhas do mundo.

Quais os benefícios para quem joga?

Essa atividade é muito funcional tanto para adultos quanto para crianças. Com as peças, é possível criar diversas formas estimulando criatividade, concentração e raciocínio lógico. Ao posicionar e rotacionar as peças para formar as figuras, a pessoa trabalha o cérebro, despertando e melhorando a noção espacial. 

Gostou? Imprima agora o seu!


Clique Aqui

 

Algumas dicas para montar 

– Primeiro, tente encaixar as peças maiores (2 triângulos grandes), pois as menores poderão se encaixar de forma mais fácil posteriormente.
– Lembre-se de que algumas peças menores formam peças maiores. Por exemplo: o quadrado pode ser feito com 2 triângulos pequenos.
– Se tiver dificuldade em criar um desenho, veja apenas a silhueta de algumas possibilidades e tente reproduzi-las.

Seriösly News COVID 19 Issue: How to fold

27/10/2020

Want to help fight COVID-19 with your computer?

By  Nuno Balbino Reifschneider

Grade  7th

Ever thought about how much time your computer spends idle? What if you could help fight COVID-19 and other diseases with your computer? And you can! Thanks to the Pande group at the Department of Chemistry at Stanford University.

It is now based at the Washington University in St. Louis School of Medicine. Folding@home is more powerful than any other supercomputer in the world. The program folds amino acids into proteins. Folding proteins requires computing power. The more you leave your computer running, the more points you get. You can also give your points to a team of your choice. The points show how much you have contributed. They help find possible cures and treatments for COVID-19. 

Is it safe?

Folding@Home has been audited by Avast. It is also supported by many big companies, including Microsoft, Petrobras, Intel, AMD, and Nvidia. Folding doesn’t have access to your information stored on your computer.

How can I fold?

You can go to their website: https://foldingathome.org, download the installer and follow the steps shown to start folding. After you set it up, you can join the Serios’s team. 

The team number is 264998. This is where you enter it :

I also recommend getting a passkey, which gives you bonus points. 

If you have any other questions please talk to me: nuno.reifschneider@colegioserios.com.br, or to the super helpful community in the forum: https://foldingforum.org, or on discord: http://discord.gg/foldingathome

Please check out the project and join the Serios’s team. Remember that you can make the difference by joining the fight against COVID-19!

Manual do Desfralde

27/10/2020

Um dos maiores desafios da paternidade é saber o momento ideal para tirar as fraldas da criança. É uma tarefa que chega cercada de dúvidas e insegurança. Como saber o momento certo? A criança dará sinais quando estiver pronto?

De acordo com estudos1 sobre o desenvolvimento da criança, só a partir dos 8 meses, o bebê começa a diferenciar sua identidade com a da mãe, e passa por esse processo de separação. Com os dejetos, acontece da mesma forma. Quando a criança percebe que as fezes e a urina não fazem mais parte dele, começa a dar sinais de incômodo e, assim, estará pronto para iniciar o processo de desfralde. O importante é respeitar o processo de amadurecimento da criança, estar atento e identificar sinais apresentados por meio da fala ou dos gestos.

O aprendizado do controle esfincteriano é influenciado pelo desenvolvimento de cada criança e por fatores culturais. A família é o primeiro referencial dela, seguida pelo ingresso na escola. O tempo dessa independência pode variar de acordo com o histórico familiar, o tempo de dedicação ao treinamento e o desenvolvimento fisiológico e emocional da criança.

Não se precipite! Só comece o treinamento de seu filho se perceber que ele está maduro. Assim, o aprendizado terá mais chances de acontecer com tranquilidade.

Quando e por onde começar?

As crianças costumam iniciar o processo do desfralde a partir dos 18 meses. Quando já sabem andar bem equilibradas e conseguem identificar objetos, é sinal de que chegou a hora. Outro sinal é quando demonstram incômodo com uso da fralda. Nesse período, pode-se observar que também já são capazes de obedecer a alguns comandos.

Situações do desenvolvimento infantil devem ser tratadas com flexibilidade, observando sempre as particularidades da criança. Se achar que ela está preparada para o desfralde, mas, no decorrer do processo, perceber que não está madura ou está passando por um processo de mudança na rotina (mudança da casa, nascimento de irmão, separação dos pais), não há problema em parar e recomeçar em outro momento.

Inicia-se pelo desfralde diurno, uma vez que o controle noturno da bexiga requer habilidade de suprimir a urgência de urinar durante o sono ou a capacidade de acordar ao sinal de uma bexiga cheia. Até quatro anos, a maioria das crianças abandona as fraldas.

O tempo necessário do treinamento até a aquisição do controle esfincteriano é de três a seis meses, em média. Se persistir, peça a avaliação de um especialista, como urologista ou nefrologista. O processo de retirada de fraldas precoce, tardio ou mal conduzido, é determinante no aparecimento da síndrome de disfunção das eliminações, que consiste em disfunções relativas ao aparelho urinário e gastrointestinal. Crianças com treinamento inadequado apresentam mais ocorrências de infecção do trato urinário, constipação e sintomas de disfunção miccional (incontinência, manobras de contenção, enurese, urgência miccional). O sucesso no treinamento é bom para os pais e para as crianças.

 Como os pais podem ajudar nesse processo?

O primeiro passo para o treinamento é a decisão se será utilizado um penico ou o vaso sanitário normal. Muitas crianças preferem o penico porque é pequeno e podem se sentar e levantar sozinhas quando quiserem. Algumas preferem usar o vaso sanitário como seus pais ou irmãos maiores. Neste caso, deve-se comprar um redutor para o vaso e colocar um banco para a criança poder subir e descer sem ajuda e manter os pés apoiados durante a micção e a evacuação para o adequado relaxamento perineal. Muitas crianças querem a presença dos pais durante esta atividade, outras preferem ficar sós. O desejo da criança deve ser respeitado, assim como oferecer a segurança necessária para o correto aprendizado.

Os pais precisam dedicar tempo e acompanhar o filho nesse processo. Com paciência, ensinar tudo: como se sentar no vaso/penico, puxar a descarga e como deve ser feita a higienização. Ensine também a chamar alguém sempre que precisar ir ao banheiro. Deixe que fique sentado no vaso ou penico, se tiver vontade. Demonstre satisfação a cada etapa do processo, elogiando e mostrando seu contentamento com cada resultado. Dessa forma, a criança se sentirá mais segura e estimulada a continuar explorando a nova atividade.

Os meninos devem ser ensinados a fazer xixi sentados no vaso ou penico. O processo deve ser feito de maneira gradual, passo a passo. Depois que eles estiverem adaptados, você pode orientá-los a fazer de pé. O exemplo do pai ou de alguma figura masculina neste momento é muito bem-vindo.

Estas dicas podem ajudar no momento do desfralde.

1) Saiba a hora certa de começar – Não tenha pressa. O período do processo costuma variar muito de uma criança para outra. Escolha um momento em que você tenha toda paciência e disponibilidade para tornar a tarefa agradável ao filho. Lembre-se de que a fralda apresenta para criança certa segurança, e que esse momento deve ser trabalhado com muito carinho e valorizando cada avanço. Faça com que ela se sinta feliz e capaz de se despedir da sua “companheira fralda”.

2) Evite expor a criança em lugares públicos – Ir ao banheiro é algo privado e não deve ser constrangedor. Tente utilizar o sanitário com a porta fechada, e penico sempre no banheiro.

3) Tenha paciência e dedique tempo ao processo –  O tempo previsto para conclusão de um desfralde é de 1 a 6 meses, incluindo o desfralde noturno, caso não ocorra nenhuma regressão, seja por parte dos pais ou mesmo da criança. Quanto maior a persistência, a paciência e a condução correta do processo, maior será a chance dele ocorrer de forma tranquila e exitosa. A diversão deve ser explorada para tornar todo o processo mais rápido, fácil e prazeroso.  Leve livrinhos, joguinhos, brinquedos e outras atividades que envolvam a criança quando ela estiver no banheiro para tornar o momento prazeroso. Tudo pode ser usado: dar tchau para cocô, cantar musiquinhas enquanto faz xixi, ler livrinhos etc.

4) O desfralde deve ser iniciado em casa – Os pais deverão iniciar o desfralde em um final de semana e informar à professora, para que ela mantenha o processo no decorrer da semana, no intuito de não haver regressão. Lembre-se de que a escola deve ser só um apoio.

5) Providencie itens de apoio – A criança precisa de conforto. Providencie um penico, adaptadores de assento e um apoio para os pés, a fim de que a criança faça o esforço para liberação da urina e das fezes com segurança. O ideal é que o uso de adaptadores de assento sejam utilizados quando a criança já estiver treinada.

6) Crie uma rotina de idas ao banheiro – Comece retirando a fralda do dia e pergunte se a criança quer ir ao banheiro. Crie uma rotina com ela, levando-a ao banheiro a cada duas horas.

7) Elogie e valorize cada conquista – Nunca brigue nem castigue a criança se ela fizer xixi ou cocô no chão ou na roupa durante o processo de desfralde. Ao contrário, valorize suas pequenas conquistas, encorajando-a a vencer as dificuldades. Nessa fase, os escapes são comuns. Para algumas crianças, essa situação pode durar, em média, até os quatro anos de idade. Para outras, até os seis anos de idade.

8) Evite comparações – Nunca compare seu filho com outra criança, nem mesmo com o irmão mais velho. O desfralde também vai depender da pré-disposição do adulto para mediá-lo. Todo o processo exigirá uma mudança de rotina e de humor muito maior do adulto; esteja certo disso antes de começar.

9) Utilize roupas fáceis de retirar – Se a criança pede para ir ao banheiro, os pais têm que agir rápido.

10) Os componentes emocionais são importantes – Não trate os excrementos da criança como algo ruim ou mal feito. O fato de evacuar deve ser encarado como saúde e como uma produção natural do corpo. Se a criança demonstrar excesso de nojo ou incômodo com as fezes, é preciso encarar sua realização como algo poderoso, consistente e satisfatório. Se você identificar dificuldades fora do comum nesse processo, procure um profissional que possa ajudar.

Boa sorte!

 

Fonte:

  1. Anna Freud (1971), Donald Winnicott (1975), Melanie Klein (1991), Erik Erickson (1965).
  2. MOTA, Denise Marques. Aquisição dos controles urinário e intestinal nas crianças da coorte de nascimentos de Pelotas de 2004. 2008.
  3. “Infância: especialista dá dicas para o desfralde – Fiocruz.” 23 ago. 2016, https://portal.fiocruz.br/noticia/infancia-especialista-da-dicas-para-o-desfralde . Acessado em 6 ago. 2019.
  4. “Desfralde: aprenda a respeitar o tempo da criança – EBC.” 23 mar. 2015, http://www.ebc.com.br/infantil/para-pais/2015/03/desfralde-aprenda-respeitar-o-tempo-da-crianca. Acessado em 6 ago. 2019.
  5. https://paisefilhos.uol.com.br/crianca/10-erros-comuns-na-hora-do-desfralde/. Acessado em 12 ago. 2019

Black Lives Matter

21/10/2020

by Ariel Triana

Grade 8th

Worldwide, a campaign started after some racist events: Black Lives Matter. Racism has always been present in the world but disguised in many ways, such as jokes about black people, among thousands of others.  Unfortunately, due to the tragic events in the USA, mainly, this has worsened dramatically.

My name is Ariel Schneider De Almeida Triana and I am a 14 year old black boy. I write this text to explain, understand, and claim equal rights for black and white people. Job offers for a black person are completely different than those to a white person. I’m sure that if a black man wanted to work for a company, cosmetics store or the like, the treatment received by a black person would be completely different from a white person’s.  We, blacks, are tired of having to survive racism every day. No one should be treated differently from other people just because of their skin color.

I speak for all the blacks in the world who want to be heard and cared for.  We want to exercise our rights as citizens, to go out on the street without having to be too tidy to avoid being mistaken for a thief or simply a criminal.

 White privilege is very common in this country that is based on slave labor. Whites have always been the protagonists in our world, and that has to change. Blacks cannot be on the cover of a magazine only on November 20. We are also part of society. We want to claim what is rightfully ours!

Racism is an agenda that must be taken very seriously, because, according to research, only 11% of the wealthiest Brazilians are black. If blacks represent 54% of the Brazilian population, why do we see so few black people in high positions in society?  To answer each of these questions, I don’t need to say anything other than: RACISM.

We live in a very racist society; however, few people consider themselves racist.  Sometimes, people are racist without realizing it, with some phrases that you may not know are racist, such as: “Don’t talk to me like that, I’m not your little black”.  Phrases like this are extremely racist and hurtful.

I have already suffered racism, I still suffer a lot of racism and will continue suffering if we don’t change our attitudes now! I am only 14 years old and I have been through several racist situations that hurt me a lot. Racism will always exist and there is nothing we can do to change that. There are several forms of racism, such as structural, institutional, and explicit racism. I try not to be shaken by these nasty comments, but I am not made of stone. I have amazing friends who don’t discriminate against me because of my color. It is gratifying to see how many people support the “Black Lives Matter” movement. On the other hand, there are also some people who only say they support the movement to maintain the facade of a good person.

When I was young I suffered racism, and nowadays I still suffer racism. I wanna know: why are people still being racist with other people? Why do people discriminate against others on the grounds of color? Someone has told me that I’m worse because I’m black, and that only because I’m black I should live in a dumping ground. Yes, I’m black and I love being a black guy. I feel blessed for being black and proud of myself when I defend all black movements. 

So, I ask everyone to help support this cause. Help us, help black people, and help yourself live in a better society. I’m beautiful in every single way, but we all know that words can bring us down. However, together we can stand tall and strong, and fight for everyone’s rights. And for all the racists who are reading this text, I only have one thing to say to you: you can shoot me with your words, you can cut me with your eyes, you can kill me with your hatred, but still, like air, I will get up.

Seriösly News COVID 19 Issue: Behind Coronavirus Testing

21/09/2020

A simplified explanation of coronavirus testing and the science behind it

By  Nuno Balbino Reifschneider

Grade  7th

The coronavirus situation is currently very bad, and if we don’t take action it will get worse. Having a basic understanding of tests is also very important. Taking a test is an action that should be carefully considered.

 

In this article, I will talk about Nucleic Acid Amplification Tests (NAAT) and the Serological tests. NAAT’s detect the virus, but the Serological test detects antibodies, which can tell if you had previously had contact with the virus and developed protection against it. Antibodies are proteins produced by the body as a response to other harmful substances called antigens.

 

What are Nucleic Acids?

Nucleic Acids are biomolecules essential to forms of life. DNA and RNA are one of them. They were discovered by Friedrich Miescher in 1869. Other researchers have made important progress including Albrecht Kossel, Richard Altmann, Astbury and Bell, Watson, and Crick.

How do the tests work?

In a simplified manner, the NAAT works by identifying the presence of RNA from the virus using Real-Time Reverse Transcription-Polymerase Chain Reaction, or rRT-PCR, (using a nasal swab). According to Al Jazeera,  the testing process can take up to 3-4 hours, with results available to patients within several days in most countries.

The serological test used in Covid-19 testing is called ELISA or EIA and it uses blood samples to detect the presence of antibodies against the virus. ELISA can also be used to test other viral diseases. It has been used in many cases, including airlines, because the viruses spread very easily on planes. The serological test is very useful because it is fast. It normally takes 20 minutes.

How should people be tested?

It is known that there are two good ways to test people. The first one is to randomly test individuals. It was estimated that, to properly use this method in the USA, they would need to test more than 10 million people per day. The other method is contact tracing, which is to find out people who have been in contact with the virus and then test them. This method is harder to execute, but requires significantly fewer tests.

Final Thoughts

You should stay at home unless you absolutely need to leave, in order to avoid spreading the virus. This may seem obvious, but it is of paramount importance. Preventing the unnecessary use of tests is also crucial, due to the limited amount of tests.

 

Sources/What to Read.

Siddiqui, Usaid. “Coronavirus Testing Methods: What You Need to Know.” News | Al Jazeera, Al Jazeera, 7 Apr. 2020, www.aljazeera.com/news/2020/03/coronavirus-testing-methods-200330142718434.html.

https://www.healthline.com/health/elisa#procedure

https://www.aljazeera.com/news/2020/03/coronavirus-testing-methods-200330142718434.html

A Dream of Freedom

13/09/2020

by Athos Schneider De Almeida Triana

Being free is everyone’s right. In times of discord and prejudice, people suffer from pain and affliction in various ways. The most visible is prejudice, even if it is disguised. For that matter, I want to talk about freedom and what it means to be free. So I ask: what is it to be free? 

Being free is a privilege that, in fact, few people have. We all talk about wanting to be free sometime in our lives, but freedom is very relative. For some people being free can be simply not paying taxes, or being a multimillionaire and being able to buy whatever they want. For me, freedom is something that may seem simple, but it is an object of fight that many people – myself included – have been struggling with. Fighting this battle should be the objective of everyone. But the largest portion of society prefers to omit it because it is racism that I want to talk about. Racism does not match freedom.

Freedom… what an incredible word, isn’t it? While the privileged white man lies on the sofa, complaining about his problems, every 23 minutes, according to the UN, a young black man dies. According to IBGE (the Brazilian Institute of Geography and Statistics), in 75% of homicides in Brazil the victim is black. In proportion, blacks are 2.7% more likely to be victims of murder than whites. I’m black, and luckily, I’m still alive.

Unfortunately, the world has experienced various situations of racism. Thousands of people still remain with racist attitudes and speeches. I make this manifest aimed at hypocritical, closed-minded, racist people, and those who think that a person should be treated differently because of their color, gender, sexual orientation or religion.

I believe that nobody is born racist. This is something you learn. Together we can evolve and grow to change the world. This evolution is a struggle for everyone, but we all have a voice, so don’t be silent, because when you say nothing, besides supporting racism in a subtle way, you become an accessory to violence. Together we can bring hope back, but not the dying people. Black or white, it doesn’t matter, so let’s all come together and, yes, be angry with people who believe that racism makes sense in a country built on slave labor.

Many people do not know exactly what it is to be free. I would like to know what it feels like to leave home without fear of being killed. I wish that the “different” in color could enter a store and not be chased by the establishment’s employees who think they are going to steal something. I wish that no one would be looked at and treated differently because of color, because I know that whites and blacks bleed the same: a thick reddish liquid. So why do I, a black man, have to be treated differently because of my color?

I remember that when I was a child I played with my white friends in kindergarten and we didn’t see the color and I even called them ‘brother’. So we grew up and we were taught that we should hate each other, although we didn’t want to part, because, before our friendship, we were “colorblind”. Color was never a problem in our friendship, so I just have to thank them.

This manifest is beyond respect for blacks, it is for tolerance. A Dream of Freedom is not strictly aimed at Brazilians, but at the whole world for reflection. You may not even see racism, but it does exist.

 Athos Schneider de Almeida Triana. Brasília, June of 2020